Página Inicial Notícias Tricolor lava a alma na despedida de 2016!

Tricolor lava a alma na despedida de 2016!

Escrito porRedação Wsports 13 de dezembro de 2016

A temporada 2016 não foi como o clube esperava, mas terminou com uma goleada para lavar a alma neste domingo (11) chuvoso. No Pacaembu, com capítulos emocionantes, o Tricolor goleou o Santa Cruz por 5 a 0 e se despediu do Campeonato Brasileiro em grande estilo. Chavez (2), David Neres, Gilberto e Luiz Araújo anotaram os gols do São Paulo, que atuou durante todo o segundo tempo com apenas dez jogadores em campo após a expulsão de Cueva nos acréscimos da primeira etapa.

A partida teve várias referências à Chapecoense, que perdeu 19 jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes num acidente aéreo quando estava a caminho de Medellín, para a disputa da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional-COL na última semana. O confronto deste semana ainda reservou uma história à parte: o goleiro Léo, formado no clube e desde 2007 no profissional, teve a sua primeira oportunidade em jogos de competição – já tinha atuado no amistoso contra o Londrina (2 x 1), em 2013 – e entrou no lugar de Denis aos 31 minutos. O capitão Maicon entregou a sua faixa de capitão ao goleiro, que foi ovacionado pela torcida nas arquibancadas.

Com o resultado, o Tricolor encerrou a sua participação na competição nacional deste ano na décima colocação, com 52 pontos em 38 rodadas: 14 vitórias, dez empates e 14 derrotas. Após o confronto no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o elenco foi liberado para o período de férias e se reapresentará no início de janeiro, já sob o comando do técnico Rogério Ceni, para a disputa da Flórida Cup, nos Estados Unidos, e do Campeonato Paulista.

Ainda consternado pelo trágico episódio da última semana, o clube prestou homenagem à Associação Chapecoense de Futebol em seu uniforme: os atletas de linha atuaram com camisa de cor preta, com os escudos de São Paulo e Chapecoense em suas cores originais, número e nome nas costas na cor verde, além de um patch em homenagem às 71 vítimas fatais do acidente aéreo na Colômbia e a inscrição da hashtag #ForçaChape no peito, abaixo dos escudos – as camisas serão leiloadas, e o valor revertido para as famílias das vítimas do acidente.

Cada jogador teve o próprio número habitual estampado na parte de trás da camisa, mas excepcionalmente nesta ocasião levaram o nome de um dos atletas da Chapecoense vitimados no episódio do dia 28 de novembro. Por iniciativa do clube, o uniforme não teve patrocinadores. A ação foi encampada pelos parceiros Prevent Senior, Corr Plastik, Fiap, Joli, Poty e Tim, que abdicaram da exposição das próprias marcas no uniforme para prestar a devida homenagem à Chapecoense.

A camisa de linha ainda contemplou ações coletivas, que foram adotadas por todos os clubes brasileiros nesta rodada. O patch da CBF com o escudo em luto da Chapecoense, na cor preta, foram estampados na manga esquerda. Cada equipe levou também em seu uniforme um trecho do hino da Chapecoense. Ao São Paulo, coube a palavra “sempre”, que ocupou espaço na barra inferior da camisa. Os shorts e meiões dos atletas de linha também eram pretos.

Para encarar os pernambucanos, o Tricolor contou com a volta de João Schmidt (cumpriu suspensão automática) e uma nova formação no sistema ofensivo. Autor do gol que garantiu a heroica virada sobre o Atlético-MG por 2 a 1 na última rodada, Gilberto trabalhou a semana inteira entre os titulares e ganhou uma vaga na equipe de Pintado, que escalou o time com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Buffarini; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Chavez e Gilberto.

Breno e Ytalo (cirurgias no joelho), Lucas Fernandes (cirurgias no joelho e no ombro), Wesley (entorse no joelho direito), Mena (suspenso por cartão amarelo) não estavam à disposição. Além deles, Kelvin também não atuou: o atacante, cujo contrato de empréstimo se encerra no final do ano, foi liberado pelo clube. Já os visitantes começaram a partida com Miller; Vítor, Walter Guimarães, Luan Peres e Roberto; Derley, Léo Moura e Renatinho; Arthur, Bruno Moraes e Marcílio.

Quando a bola rolou, sem perder tempo, o São Paulo logo se mandou para o ataque e tirou o zero do placar no primeiro minuto com grande jogada pela esquerda. Chavez recebeu de Cueva e cruzou rasteiro David Neres, que bateu de primeira e colocou os mandantes em vantagem: 1 a 0! Foi o terceiro do camisa 14 como profissional.

Acuado, o Santa Cruz ficava mais tempo no campo de defesa e esperava por uma oportunidade para tentar contra golpear. Porém, o domínio do confronto era dos paulistas, que aos quatro quase ampliaram: David Neres rolou para a passagem de Gilberto, que bateu de pé direito, mas a bola acertou o lado de fora da rede de Miller. Na sequência, os pernambucanos assustaram – pararam na defesa de Denis -, mas o São Paulo seguiu melhor no duelo.

Aos sete minutos, em velocidade, Bruno fez boa jogada – saiu da direita para o meio – e chutou de pé esquerdo: a bola passou muito perto do travessão. Depois, aos 17, Buffarini avançou pela esquerda, recebeu de Rodrigo Caio, que estava na área, e cruzou para David Neres, que, de primeira, finalizou por cima do gol. Em uma rápida escapada, pouco depois, o Santa Cruz levou perigo, mas rapidamente o Tricolor reassumiu o protagonismo para garantir mais tranquilidade no marcador.

E coube ao atacante Gilberto a missão de anotar o segundo gol. Aliás, um golaço! Aos 29, O centroavante recebeu de Maicon na intermediária de ataque e arriscou um chutaço de pé direito. A bola pegou um efeito e entrou no canto direito do goleiro Miller, que nada pôde fazer! 2 a 0! Segundo gol em jogos consecutivos do atacante.

Ainda na primeira etapa, os mandantes tiveram mais uma boa chance: aos 32, Cueva encontrou David Neres na área, o jovem atacante finalizou, mas Miller fez nova defesa. E quando o primeiro tempo parecia terminar sem novos capítulos, a arbitragem expulsou Cueva já nos acréscimos. No lance, o peruano trocou passes com Gilberto, recebeu na área e foi derrubado após choque com Derley. O árbitro interpretou como simulação do armador são-paulino e deu o segundo cartão amarelo ao camisa 13, que foi expulso.

Na volta para a segunda etapa, mesmo com apenas 10 jogadores em campo, o Tricolor não tirou o pé ou ficou preso na defesa. Envolvente nos contra-ataques, o São Paulo transformou a vitória em goleada. Aos 12 minutos, Chavez recebeu de João Schmidt em contra-ataque, dividiu com a zaga, ganhou e finalizou com categoria, por cima do arqueiro adversário: 3 a 0! Inspirado, pouco depois aos 17, o camisa 9 quase marcou um golaço de voleio.

Presente no campo de ataque, o time são-paulino não diminuía a intensidade e assim criava com facilidade. Foi assim que Chavez anotou o seu segundo gol na partida – o quarto do Tricolor! Aos 27 minutos, o atacante bateu, Miller espalmou, Luiz Araújo – entrou na vaga de Gilberto – recuperou e a bola sobrou para o argentino, que bateu firme no ângulo para ampliar! 4 a 0 e muita vibração dos jogadores. Na comemoração, Chavez um abraço de agradecimento no garoto revelado no CFA.

A goleada também contou com um momento emocionante. O goleiro Léo, formado no clube e desde 2007 no profissional, teve a sua primeira oportunidade em jogos de competição – já tinha atuado no amistoso contra o Londrina (2 x 1), em 2013 – e entrou no lugar de Denis aos 31 minutos. O capitão Maicon entregou a sua faixa de capitão ao goleiro, que foi ovacionado pela torcida nas arquibancadas.

E pra fechar a participação do São Paulo na temporada com uma grande vitória, Luiz Araújo deixou o seu aos 36 minutos. O camisa 31 recebeu no meio-campo, arrancou, passou pelos dois zagueiros, Luan Peres e Walter Guimarães, e acertou uma bomba de pé esquerdo, no cantinho! 5 a 0! Goleada pra lavar a alma debaixo de chuva na capital paulista!

Fonte: Agência São Paulo