Analisando o Jogo: Bragantino x Botafogo-SP

O Botafogo estreou com derrota no campeonato paulista, mas o que mais preocupou na partida, de fato, não foi o resultado. A equipe comandada por Léo Condé deixou uma impressão bastante ruim para o próximo jogo contra o Palmeiras.

É evidente que não se pode deixar de pesar as ausências de Bruno Moraes e Danielzinho, que fizeram toda a preparação treinando entre os titulares e a irregularidade do primeiro gol do Bragantino, mas o rendimento ficou bem abaixo do esperado.

Novo Shopping 300X200

Um dos pontos mais alarmantes do time do Botafogo na partida de ontem foi a falta de precisão nas finalizações. De 9 chutes, apenas 2 foram no gol. No jogo, o Botafogo teve média de precisão de 18,18% nas finalizações. A média do campeonato é de 41,28%, média que foi atingida, por exemplo, pelo Santo André contra o Palmeiras.

A pouca criatividade explica o número baixo de finalizações, já que o jogador responsável pela organização do time no jogo, o meio-campo Dodô, acertou apenas 28 passes, errando outros 9. Ou seja, se o articulador do time não arma as jogadas, dificilmente o time irá finalizar com qualidade.

Para entender melhor os números em relação a passes, os melhores passadores do Botafogo na partida foram o volante Diones, que acertou 56 passes e errou apenas 4, e o lateral-esquerdo Peri, que acertou 47 passes, errando outros 8. Desta maneira podemos entender que a bola passou pouco pelo local onde fica localizado o articulador da equipe, o camisa 10.

+ Com pouca criatividade, Bota é derrotado na estreia

É de se entender que o motivo de Dodô ter errado mais passes é devido ao fato de sempre tentar o último passe, que em tese é mais difícil que um passe lateral, por exemplo, mas, a pouca participação no jogo como um todo preocupa.

Analisando em números, o Botafogo foi melhor que o Bragantino em praticamente toda a partida, tendo um domínio maior da posse e das ações, entretanto, o time de Bragança foi mais efetivo e preciso quando teve as oportunidades de marcar.

De modo geral, nem tudo foi ruim. O sistema defensivo se comportou bem e não deu muitas oportunidades de finalização ao Bragantino. Plínio e Naylhor demonstraram segurança e vão bem pelo alto. Peri e Diego Tavares, que revezou com Carlos Henrique do lado direito, também não comprometeram.

A frente da zaga Willian e Diones não foram mal. O sistema defensivo, Condé parece ter encontrado uma espinha dorsal titular, entretanto, o ataque ainda precisa ser mais bem encaixado. Com o resultado negativo contra o Massa Bruta, a pressão sobre Danielzinho e Bruno Moraes aumenta consideravelmente, na mesma medida que por um resultado que não seja uma derrota contra o Palmeiras.

Foto: Junior Fortunato

 

 

Drogao 500×300
Novo Shopping 500×300
Tonin 500×300
Gran Steak 500×300
%d blogueiros gostam disto: