Analisando o jogo: São Paulo x Botafogo-SP

Quem vê o resultado de 2 a 0 para o São Paulo no confronto do último sábado contra o Botafogo no estádio do Morumbi, pensa que foi uma partida de amplo domínio do time da capital e que o Pantera foi mero coadjuvante na partida.

Este raciocínio está completamente equivocado. Apesar da maior posse de bola do São Paulo, quem, de fato, levou perigo foi o Bota. Duas bolas na trave, chance inacreditável perdida por Willian e uma finalização perigosa de Bruno Moraes, são alguns dos pontos que exemplificam a atuação que o Botafogo teve no Morumbi.

Se o Bota tivesse um aproveitamento melhor nas finalizações, teria tido uma tarde mais feliz. A chance perdida por Taylor, que mandou a bola no travessão, a bola na trave de Dodô e a chance cara a cara perdida por Willian, são lances que fortalecem a máxima de que, quem não faz, toma.  No geral o Botafogo teve uma boa atuação no Morumbi e poderia sim, ter trazido um resultado positivo da capital.

Gols na volta do intervalo

O ponto de maior preocupação no time de Léo Condé é a volta desatenta do intervalo. O Botafogo sempre tem sofrido gols na volta do intervalo e antes dos 10 minutos de jogo. Dos 7 gols sofridos, 5 foram nestas circunstâncias. Antes do jogo contra o São Paulo, Condé afirmou que este ponto está sendo conversado com o grupo e que a comissão técnica tem procurado soluções para que o time não leve esses gols na segunda etapa.

+ CLIQUE AQUI – Leia mais notícias do Botafogo

Atualmente a defesa do Botafogo é a segunda pior da competição, dividindo o posto com os times do Santo André e Linense. A defesa mais vazada é a do São Caetano. A média de gols sofrida pelo Bota é de 1,4 gols por jogo. Essa estatística só foi pior nos anos de 2009 e 2012. Para efeito de comparação, no ano passado, o Bota registrou média de 0,7 gols por partida, número que representa o melhor desempenho defensivo do time nos últimos 10 anos.

Defesa

O sistema defensivo tem se mostrado sólido e de confiança, entretanto, o primeiro gol do São Paulo foi marcado por Diego Souza, que finalizou entre os dois defensores do Bota, o que convenhamos, não pode acontecer.

Meio-Campo

O sistema tem melhorado o desempenho e criou mais oportunidades claras de gol. O setor de criação vem funcionando e dando oportunidade aos atacantes. A parte dos volantes ainda precisa melhorar. Diones é fundamental na saída de bola, mas na marcação tem tido dificuldade. Willian é o contrário de Diones, tem facilidade na marcação e dificuldade no terço ofensivo do campo.

Ataque

Apesar de Bruno Moraes ser um dos melhores finalizadores e artilheiro do campeonato, o time tem perdido boas oportunidades, o que pode comprometer os resultados, como aconteceu contra o São Paulo.

Foto: Junior Fortunato

%d blogueiros gostam disto: