radio-wsports
Clique e ouça aqui!
Após derrota em clássico, Rogério Ceni faz balanço do desempenho do São Paulo

Após derrota em clássico, Rogério Ceni faz balanço do desempenho do São Paulo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no skype

Após derrota em clássico, Rogério Ceni faz balanço do desempenho do São Paulo

Técnico avaliou o revés para o rival neste domingo (11) pelo Campeonato Brasileiro

Assim como o elenco, o técnico Rogério Ceni lamentou o revés para o Corinthians (3 x 2) no agitado clássico disputado neste final de semana pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro de 2017. Durante a coletiva de imprensa, o treinador avaliou o Majestoso que teve gols de Romero, Gilberto, Gabriel, Jadson (pênalti) e Wellington Nem.

“O Corinthians é bem treinado, está entrosado, mas tem uma diferença importante: confiança. Nós cometemos um número maior de erros. Acho que foi essa a diferença do placar. Uma equipe que quer brigar pelo título tem que manter entre 80 e 100% de aproveitamento em casa, só que precisa bater ao menos 50% fora para brigar por uma posição melhor. Estamos perdendo em detalhes bobos. Hoje, novamente, por erros comuns”, opinou o comandante, que emendou.

Gran Steak 500×300

“Não fomos tão felizes na forma de marcar. Tem que corrigir. Os jogadores não fazem sempre o seu melhor. Hoje os erros se ressaltaram um poucos mais. Não tomamos nenhum gol em casa e perdemos duas derrotas com placar simples de 1 a 0. A equipe não deixou de ser coesa por hoje. Vinha superbem com a linha de três zagueiros, não mudamos nada. Hoje perdemos um jogo por 3 a 2”, disse.

[the_ad id=”56118″]

Para encarar o arquirrival, o técnico Rogério Ceni não contou com os lesionados Buffarini, Morato, Wesley, Araruna, João Schmidt, Thiago Mendes e Maicosuel, além de Rodrigo Caio e Cueva que estão com suas respectivas seleções. Assim, com Douglas e Gilberto entre as novidades, o time são-paulino foi escalado com Renan Ribeiro; Douglas, Lucão e Maicon; Marcinho, Jucilei, Éder Militão, Cícero e Júnior Tavares; Gilberto e Pratto.

“Além dos três zagueiros, colocamos três homens no meio de campo para bloquear toda e qualquer ação do Corinthians. Na frente, dois atacantes. Com as chegadas do Cícero e do Militão, a gente apostava em se defender bem e sair para marcar o gol. Nós tínhamos oito jogadores com mais de 1m80 em campo. Tomamos o gol, mas conseguimos empatar o jogo, que estava controlado. E aí nós erramos acima do normal para quem quer vencer um clássico. Muitos erros primários”, acrescentou Rogério, que na segunda etapa promoveu as entradas de Bruno, Wellington Nem e Thomaz.

“Para o segundo tempo, eu já tinha planejado avançar um jogador na função de camisa 10, mas o segundo gol do adversário mudou o panorama. Sobre os camisas 10, um está na seleção peruana (Cueva), e o Maicosuel não está com ritmo para aguentar 90 minutos. A escalação inicial foi uma opção para se defender. Cícero e Militão sabem conduzir a bola… Claro que não são camisas 10, mas podem fazer isso… O segundo gols atrapalhou”, finalizou.

Foto: Rubens Chiri | Saopaulofc.net

 

Leia Mais

W Sports