Após a desclassificação, torcida protesta e pede a saída da maioria dos jogadores

Depois da desclassificação do Botafogo do Campeonato Brasileiro Da Série C , vários torcedores protestaram no acesso principal do estádio Santa Cruz, local de saída e entrada de jogadores, diretoria e visitantes.

Ninguém foi poupado, jogadores e diretoria foram xingados por torcedores inconformados com a saída precoce do Botafogo da competição.

A indignação não estava no fato da equipe se desclassificar, mas sim, como ocorreu a desclassificação, que esteve bem perto de acontecer independentemente de outros resultados.

Se marcasse quatro gols de diferença no Ypiranga-RS, o Pantera avançaria para a fase de mata-mata. Nenhum absurdo para um time que goleou o adversário por 5 a 3.

Quando o placar estava 5 a 2, bastava o tricolor marcar mais um. Um resultado final de 6 a 2, por exemplo, daria a vaga ao time de Ribeirão.

A indignação dos torcedores que protestavam, estava nos gols sofridos pelo Botafogo. Aos gritos eles acusavam jogadores de saírem na noite, de mercenários e não terem raça vestindo a camisa do clube.

Pediram a demissão de quase toda a equipe e uma renovação imediata no elenco. Para a diretoria, as criticas eram pelas contratações de má qualidade dos jogadores, e pela demora na troca do treinador. Para eles, esta troca deveria ter ocorrido na partida contra o São Bento-SP.

A verdade é que a torcida do tricolor teve muita paciência com um time fraco tecnicamente, desmotivado e que várias vezes não demonstrou comprometimento vestindo a camisa do clube.

Vários fatos que não ocorriam no Botafogo há muito tempo acontecerão, como por exemplo: A suspensão de atletas em jogos porque saíram para beber fora de horário na noite de Ribeirão. Jogador pedindo rescisão de contrato na reta final da competição, abandonado o time e alguns problemas internos entre jogadores.

Durante o protesto não houve violência . Nenhum tipo de agressão foi registrada. A segurança com policiais militares foi reforçada no momento da confusão. Uma torcedora disse por uma rede social disse que em determinado momento os policiais jogaram sobre ela gás de pimenta.

Em entrevista após o jogo, o presidente Gerson Engracia,  não falou sobre o protesto porque também não foi perguntado sobre isso.

A decepcionante participação do time no Campeonato Brasileiro Da Série C deste ano , deverá alterar os planos da diretoria com relação a permanência de alguns atletas que não pertencem ao clube. Inclusive aqueles com contratos até 2018.

O Pantera não terá muito tempo para planejar o Paulistão de 2018. Isto porque, a competição deverá ter sua data de estreia antecipada por causa da Copa do Mundo na Rússia.

%d blogueiros gostam disto: