Botafogo se despede da Série C decepcionando o torcedor mais uma vez

O torcedor bem que acreditou até o último minuto. Mas o Botafogo de novo decepcionou. Não se pode dizer que o Botafogo fez a sua parte ao vencer o Ypiranga de Erechim.

Ao golear a equipe gaúcha, o Pantera teve muito perto de se classificar, independentemente de outros resultados por saldo de gols. Bastava ter se empenhado um pouco mais e não desperdiçar tantas oportunidades. Venceu por 5 a 3, mas perdeu pelo menos mais quatro gols incríveis.

Coxilha dos Pampas 300X200

Um deles quase na linha de gol e já sem goleiro. Outros, com somente o arqueiro adversário pela frente.   Se tivesse feito o sexto gol, quando estava 5 a 2, teria se classificado no lugar do Volta Redonda-RJ, pelo critério saldo de gols.

Os três gols feitos bizarramente pelo Ypiranga-RS, talvez, seja o retrato de uma equipe que custou caro ao Botafogo, mas, não teve alma e nem o coração na ponta da chuteira.

Diretoria e torcida fizeram a sua parte fora de campo, mas dentro dele, a falta de comprometimento de alguns jogadores era flagrante.

O tricolor de Ribeirão ficou fora de uma competição, onde o nível técnico beirou a miserabilidade. Basta lembrar, que mesmo sem vencer há cinco jogos no campeonato, o Botafogo teve em seus pés a chance de ainda se classificar.

Era uma oportunidade que o Botinha não poderia ter perdido. No ano que vem as coisas podem ser mais difíceis. Basta dar uma olhada nos times que correm risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro Da Série B.

Esta foi uma Série C que deverá ser esquecida. Por mais otimista que um torcedor possa ser, fica difícil achar algo de bom que tenha acontecido neste campeonato nacional.

O JOGO
Os primeiros minutos de jogo mostraram que as jogadas de bola aérea seriam uma boa estratégia para o Botafogo. Francis carregou a bola pela meia direita e cruzou para Wesley. O baixinho testou a bola no chão e quase encobriu o goleiro Carlão.

O camisa 1 adversário apareceu de novo logo na sequência. Após cobrança de escanteio, Ronaldo testou no canto e Carlão espalmou. Gladstone apareceu livre, na pequena área, para tocar para o gol, mas o goleiro se atirou e fez um milagre para evitar a abertura do placar.

O Botafogo ainda teve outra chance clara pouco tempo depois. Vitinho se desvencilhou da marcação e arrumou um ótimo lançamento, nas costas da zaga. Wesley apareceu totalmente livre, mas errou no cabeceio e mandou a bola direto pela linha de fundo.

O melhor futebol apresentado pelo Pantera foi premiado aos 26 minutos. A bola chegou até Samuel Santos na marca do pênalti e o lateral bateu no ângulo. A bola caprichosamente bateu na trave e ficou viva dentro da área. Ronaldo aproveitou a chance e mandou uma bomba para estufar a rede dos gaúchos.

O Tricolor teve ainda duas chances claras de gol para ampliar nos dois lances de ataque sequentes. Francis e Wesley receberam passes que os deixaram na cara do goleiro do Ypiranga-RS, mas Carlão levou a melhor nas duas oportunidades e salvou o time visitante.

O Pantera ainda conseguiu aumentar a contagem nos acréscimos da etapa inicial. Francis chamou a responsabilidade, fez fila no meio da zaga dos gaúchos até ser derrubado na área. O árbitro não teve dúvidas e marcou o pênalti.

O próprio Francis foi para a batida e deslocou o goleiro para fazer o segundo gol botafoguense.

A busca pela goleada para aumentar as chances de classificação para o Botafogo continuou na etapa complementar. Gerley recebeu passe e do bico da grande área mandou um tiro rasante e cruzado. Carlão tentou saltar para tocar na bola, mas não evitou o terceiro gol do Pantera.

A oportunidade mais clara para o quarto gol esteve nos pés de Francis. Vitinho começou a jogada e a bola chegou até Wesley, que conseguiu fazer o cruzamento. Com o gol vazio, Francis se arrumou para mandar a bola para o fundo das redes, mas furou no momento da conclusão da jogada.

O Botafogo viu a classificação ficar bem próxima quando, aos 26 minutos, Carlos Henrique fez o quarto gol. Vitinho cobrou falta na área e o camisa 5 testou a bola no travessão. Na sobra, o próprio Carlos Henrique empurrou a bola para o fundo das redes.

Mas, a felicidade deu lugar à frustração. Logo no minuto seguinte, Talles Cunha conseguiu girar e marcar o primeiro gol para o time visitante. Pouco tempo depois, Safira ainda chegou a marcar o segundo gol para os gaúchos.

Os gols do adversário foram verdadeiros banhos de água fria na equipe botafoguense, que ainda conseguiu marcar mais um com Wesley, em toque rasteiro na saída do goleiro Carlão.

Já nos acréscimos, Vandinho tocou de primeira após cruzamento que veio da esquerda para vencer Neneca e fechar o placar no Estádio Santa Cruz.

 FICHA TÉCNICA:
Botafogo 5 x 3 Ypiranga-RS
Brasileiro Série C 2017 – 18ª Rodada
Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto-SP
Data: 09/09/2017 – Horário: 17h00 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha – GO (CBF)
Assistente 1: Cristhian Passos Sorence – GO (CBF)
Assistente 2: Edson Antonio de Sousa – GO (CBF)
Quarto Árbitro: José Cláudio Rocha Filho – SP (CBF)

Gols: Ronaldo, aos 26’/1ºT, Francis, aos 46’/1ºT, Gerley, aos 6’/2ºT, Carlos Henrique, aos 26’/2ºT, e Wesley, aos 45’/2ºT (Botafogo); Talles Cunha, aos 27’/2ºT, Safira, aos 34’/2ºT, e Vandinho, aos 47’/2ºT (Ypiranga-RS);
Cartões amarelos: (Botafogo); Talles Cunha, Carlos Farias e Gabriel Araújo (Ypiranga-RS);

Público: 2.643 pagantes / 2.877 total
Renda: R$ 42.525,00

Botafogo – Neneca; Samuel Santos, Caio Ruan, Gladstone e Gerley; Carlos Henrique, Rodrigo Thiesen (Isaac Prado) e Vitinho (Paulinho do Pilar); Wesley, Ronaldo e Francis (Mário). Técnico: Vica.

Ypiranga-RS – Carlão; Pedro Ivo (Fábio), Tairone, Carlos Faria (Vandinho) e Gabriel Araújo; Henrique, Carrilho, Parede e Safira; Michel (Tiago Pedra) e Talles Cunha. Técnico: Hélio Vieira.

 

Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo

Gran Steak 500×300
Novo Shopping 500×300
Tonin 500×300
%d blogueiros gostam disto: