Página Inicial Botafogo SP Velório de Gimenez é marcado por emoção e volta olímpica em Ribeirão Preto

Velório de Gimenez é marcado por emoção e volta olímpica em Ribeirão Preto

Escrito porGuilherme Galdino 4 04America/Sao_Paulo dezembro 04America/Sao_Paulo 2016

img_1075-copiaO velório do ex-jogador de Chapecoense, Botafogo, Comercial e Olé Brasil, Guilherme Gimenez de Souza, realizado neste domingo (04), foi marcado por emoção, comoção e volta olímpica com o carro que levava o corpo do atleta. Gimenez deixa uma esposa e uma filha de três anos.

– Curta a Fan Page do Programa Esporte Show e receba as notícias do Botafogo em primeira mão e, também, assista o programa ao vivo no seu Facebook


Cerca de três mil pessoas, entre torcedores, familiares e amigos, puderam prestar a última homenagem à Gimenez, que foi revelado pelo extinto Olé Brasil-SP e, posteriormente, vestiu as camisas de Comercial, Botafogo, Goiás e Chapecoense.

img_1056-copiaHoras antes do sepultamento, um irmão de Gimenez passou mal e precisou ser socorrido para um hospitla por médicos presentes no velório. Familiares informaram ao portal Wsports que era princípio do infarto.

O dia chuvoso não permitiu a presença de mais gente.  Pelos menos em três momentos choveu forte durante a cerimônia no estádio. Muita gente se protegeu no setor das arquibancadas cobertas no estádio.

Pelo Pantera, o ala-direito conquistou o vice-campeonato da Copa Paulista em 2014. No Paulistão do ano seguinte, Gimenez teve uma atuação acima da média diante do São Paulo, no Santa Cruz, marcando um golaço, que despertou interesse do Goiás, que ao final da competição negociou o atleta com o Botafogo.

Ao final de 2015, Gimenez alçou voos maiores e foi contratado pela Chapecoense. Em seu primeiro ano no Verdão do Oeste, o ex-lateral botafoguense foi campeão e garantiu a titularidade na equipe, até então, do técnico Guto Ferreira.

Com garra, foco e dedicação, Gimenez era problema para o adversário. Na primeira partida da semifinal diante do San Lorenzo, no estádio Nuevo Gasômetro, o ala se machucou e ficaria um mês em tratamento.

Porém, em duas semanas estava de volta. Mesmo de fora, a Chape contou com a torcida de Gimenez e do Brasil inteiro para chegar à final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, da Colômbia.

Fotos: Guilherme Galdino | Wsports

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE