Dor de cabeça no Paulistão, ataque do Bota conta com até 12 opções

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on skype

No campeonato paulista, o técnico Léo Condé sofreu com a falta de opções e precisou diversas vezes improvisar jogadores em outras posições, como a entrada de Carlos Henrique na lateral-direita e a utilização de Lucas Taylor como ponta ofensivo.

Vale lembrar que a ausência de opções no Paulistão se deu por diversos fatores como: Lesões, suspensões e elenco reduzido. Para o campeonato brasileiro, a diretoria foi ao mercado e conseguiu, desta vez, montar um elenco recheado para o treinador trabalhar.

“O certo é acontecer o que vem acontecendo agora, a ideia sempre é ter dois bons atletas por posição e completar com alguns jovens da base e outras apostas que o clube pode vir a fazer. No paulista a ideia era a mesma, mas fomos atrapalhados por diversos fatores”, afirmou Condé.

+ Bota empata com a Francana antes de viagem para Juiz de fora

A boa quantidade de opções é positiva, porém, aumenta a responsabilidade do treinador no quesito administração de grupo. Para Condé, todo treinador precisa saber fazer uma boa gestão de pessoas, para poder manter o grupo sempre atento às oportunidades.

“Mais importante que os trabalhos técnicos e táticos, é a questão de gestão de pessoas e o técnico tem que fazer bem essa gestão. A minha maneira de pensar o que eu preciso fazer é ser justo, respeitar o momento de cada um. São nove anos trabalhando com o futebol profissional e tive poucos problemas de grupo”, contou Condé.

O setor ofensivo, que foi uma das principais dores de cabeça no primeiro semestre, agora, contra com várias opções.

Caio Dantas, Jheimy, Pimentinha, Felipe Augusto, Elder Santana, Cafú, Caio Vieira e Everton Santos, sem contar o jovem Bruno Rocha e os meias Garré, Tchô e Everton Heleno, que podem atuar também no setor ofensivo, são as opções que o treinador tem para montar o seu ataque.

Ao todo o treinador conta com 12 jogadores para ocupar quatro posições do campo ofensivo, o que faz do ataque Botafoguense, um dos mais bem montados do campeonato.

Opções do setor ofensivo, everton santos ainda não estrepu e Tchô jogou poucos minutos (Foto: MuriloBernardes / WSports)

 

 

 

 

Leia Mais

W Sports
Espaço Publicitario