Em entrevista ao Wsports, Gerson Engracia comenta Botafogo S/A

Com indício de iminente acordo para transformar o futebol do Botafogo em sociedade anônima, Gerson Engracia Garcia, presidente do clube, veio aos estúdios Wsports e concedeu entrevista exclusiva com objetivo de detalhar o acordo que vem mexendo com os ânimos dos botafoguenses.

Sempre solícito, o presidente não fugiu das perguntas e foi direto: “A gestão tem que ser administrada de modo que o Botafogo melhore o desempenho, dentro e fora de campo. Se for para continuar dando prejuízos, que fiquemos nós. Precisa tornar a coisa administrável”. Abaixo, confira trechos da entrevista e o vídeo com ela completa.

Coxilha dos Pampas 300X200

Exemplos de como fazer e não fazer

“Os clubes na Europa hoje tem dono, nem por isso perderam torcedores, pelo contrário. Não imaginamos isso no botafogo.  Nós não queremos vender o Botafogo. Não vamos alugar, não vamos desfazer o patrimônio. Já tínhamos exemplos de clube com dono, como no Audax, Oeste. Nosso acordo não será nestes moldes”.

Namoro

“Em outubro no ano passado, fui procurado pelo Márcio Lombardi, que fez o meio de campo, dizendo que foi procurado pelo Barizza para falar sobre futebol. Após muitas reuniões que começou este namoro. depois da nossa eliminação (na série C)”.

“O Adalberto veio à Ribeirão, foi ao estádio, batemos um papo e ficamos de fazer reuniões. O Botafogo já tem no estatuto o conselho consultivo, que tem sete membros. Três deles foram escolhidos para uma comissão, que junto comigo passaram a ter estas tratativas. Estes são o Miguel Mauad, o Rogério Barizza e o Luís Pereira. Com isso o Botafogo foi preparado para este momento. Ninguém quer fazer negócio com quem tem penhora, situações trabalhistas. Estivemos oito vezes em São Paulo, conversando com o Gustavo Vieira, com o Adalberto. Com isso desenvolvemos um modelo de negócio. Ali surgiu como aconteceria a sociedade anônima. O estádio não entra nos valores. O plantel atual também não”.

Valores e negociação

“O estatuto do clube diz que o Botafogo tem que ser majoritário. A marca Botafogo é possível mensurar. O Botafogo está em Ribeirão Preto, está na série A1, na série C. O Amir (Somoggi) foi contratado para fazer este estudo. Ele quantificou a marca Botafogo. Esta marca composta destes quesitos chegou no valor de 12 milhões de reais”.

“O Botafogo não está terceirizando o futebol, não está sendo vendido. O Botafogo está montando uma empresa, junto com sócios de outra empresa, que formarão esta terceira (S/A). Esta empresa que cuidará do time profissional e da base do Botafogo. O Botafogo institucional (clube) permanece com seu estatuto, dívidas, parcelamentos, seu estádio. Este Botafogo é que manda na parte do Botafogo do S/A”.

“Os representantes do Botafogo no Botafogo S/A tem que fazer o que o Botafogo necessita. Tudo isso seguindo a lei da sociedade anônima. A S/A tem um conselho de administração, três membros do Botafogo e dois da empresa. Eles sugerem que nós coloquemos dois técnicos, um da parte de futebol e um da parte do financeiro, são detalhes que temos que discutir para que dê tudo certo”.

Recursos futuros

“Hoje o recurso futuro viria das eventuais cotas, da integralização, se você tem um aporte, mesmo que não significativo, ele te garante que você não vai precisar antecipar receita e nem vender jogadores por qualquer preço, além de parcerias. O Botafogo acertou um novo patrocinador para o jogo contra o Corinthians e para o ano em um valor que o Botafogo sozinho dificilmente não conseguiria. Será um patrocínio de um ano, algo significativo para o clube”.

“O Botafogo ainda terá a receita dos jogadores que estão no Botafogo. Eles não entrarão neste negócio. O dinheiro desta integralização entra para cuidar do patrimônio do clube”.

“O Botafogo institucional ficará com aluguel do estádio, cadeira cativa e camarote e toda propaganda estática, dentro e fora do estádio, com estrutura enxuta a área administrativa. As funções relacionadas a futebol ficarão com o S/A, inclusive cota, bilheteria, sócio torcedor, patrocínio de camisa, que também arcará com as despesas como salários, por exemplo. Os lucros da S/A são 60% de direito do Botafogo clube, os outros 40% irão para os outros sócios”.

“As melhorias se darão nos investimentos, melhorando o aporte de capital, gestão de clube, equacionar os problemas financeiros. Essas são as melhorias para este começo. Com maior investimento, maiores as chances de obter êxito com a equipe”.

Gestão

A gestão tem que ser administrada de modo que o Botafogo melhore o desempenho, dentro e fora de campo. Se for para continuar dando prejuízos, que fiquemos nós. Precisa tornar a coisa administrável. Pelo quarto ano seguido vamos participar de um campeonato nacional que não dos dá renda. Fica cada vez mais difícil diluir o investimento do campeonato paulista para todo o ano. O Botafogo S/A é quem assumirá as políticas de contratações a partir do momento que validar o contrato, quem vai gerir tudo isso é a S/A, inclusive com os salários”.

“A ideia é que o Botafogo S/A continue nas dependências do clube, no estádio Santa Cruz. A má gestão que pode levar ao insucesso, mas a má gestão pode ocasionar isso hoje também. Se o Botafogo tomar conta direito, nenhum problema vai acontecer porque ele sempre será majoritário. Se tiver gestão na administração, esse tipo de problema não irá acontecer”.

Transparência

“Não falta transparência até porque o contrato não está pronto, ele ainda está sendo discutido e será levado para a assembleia. Teremos uma receita significativa contra o Corinthians e as cotas do mês de abril. Se formos para as quartas, tetemos mais renda e premiações também. As premiações estão pré-estabelecidas, o nosso bicho está em dia, já pagamos o referente ao jogo contra o Santo André”.

“A preocupação é levar até o dia 19 uma definição sobre o memorando, para poder levar todas estas dúvidas, com o contrato pronto, para que eles possam ler o contrato. Feito a aprovação na assembleia, assim que ela aprovar, já começará a parceria”.

“Teremos melhores condições para atender o torcedor, melhores times e aí disputar campeonatos melhores. O objetivo é subir para a série B, o Botafogo está trabalhando para isso”.

Permanência de Bruno Moraes

“Tentamos segurar o Bruno Moraes, propus um plano de carreira para o jogador, mas o assédio é muito grande, ele tem sondagens de clubes da série A. Essa é uma das dificuldades da série C, porque muitos jogadores não querem disputar este  campeonato”.

Confira a entrevista (em vídeo) completa:

Confira também entrevista feita com o especialista no assunto, o Dr. Rodrigo Monteiro de Castro, autor do livro S/A do futebol:

+ Rodrigo Monteiro de Castro fala ao Wsports sobre as S/A no futebol

 

 

 

Drogao 500×300
Gran Steak 500×300
Novo Shopping 500×300
Tonin 500×300
%d blogueiros gostam disto: