França campeã FOTO Matthias Hangst Getty Images

França é bicampeã do mundo! Confira resumão da final

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on skype

A França se sagrou campeã do mundo ao bater a Croácia por 4×2 neste domingo. Com isso, os “bleus” conquistaram sua segunda Copa, após 20 anos.

No jogo, Mandzukic marcou, contra, o primeiro gol, no começo. Ainda no primeiro tempo, Perisic empatou, chutando forte no canto esquerdo de Lloris e logo depois, o VAR agiu, denunciando pênalti do mesmo Perisic, ao desviar com a mão cobrança de escanteio. Griezmann foi para a bola e fez 2×1.

No segundo tempo, a equipe croata voltou mais incisiva, indo para cima dos franceses e pressionou durante o começo do período. Porém, Pogba jogou um balde de água fria nos quadriculados ao marcar o terceiro gol, pegando rebote do próprio chute. Mbappé, logo em seguida, marcou o quarto, num chute de fora da área, e se tornou o segundo jogador a marcar gol em uma final com menos de 20 anos, sendo que o primeiro foi Pelé. Mandzukic ainda diminuiu, após falha de Lloris.

Após o apito final, foram feitas as premiações individuais. O croata Modric foi eleito o melhor jogador da competição. “Como jogamos hoje, como crescemos nesse mundial… saímos com a cabeça erguida. Não é fácil perder uma final. Nós demonstramos foco, mas nem sempre ganha o melhor. Por isso, o futebol é o melhor esporte do mundo. Quando se perde, não é fácil. Tentamos acertar. Temos que estar orgulhosos, sair de cabeça erguida. Demos tudo. Deixamos no campo tudo que pudemos”, comentou.

O melhor goleiro foi Courtois, da Bélgica, que comemorou a conquista. “Um dos maiores prêmios individuais que você pode ter como goleiro! Muito orgulhoso disso!”, disse em uma rede social.

Mbappé foi eleito o melhor jogador jovem da competição e foi parabenizado por ninguém menos que Pelé pelo gol marcado na final.

O inglês Harry Kane, com seis gols, foi o artilheiro da Copa. Curiosamente, o sexto gol dele foi marcado nas oitavas de final, contra a Colômbia.

Por fim, o troféu de fair-play da FIFA foi dado à Seleção Espanhola.

Didier Deschamps, que se tornou o terceiro a vencer a Copa como jogador e treinador, comemorou sua conquista: “Sim, os melhores técnicos! Eu não estou pensando em mim, na verdade, mas evidentemente sinto orgulho disso, é preciso ganhar títulos. Me fez tão mal perder o título europeu dois anos atrás, mas serviu para nos dar mais força. Desmistificamos um pouco essa história de jogos da final, o jogo pertence aos jogadores, eles é que ganharam a partida e são campeões do mundo. Somos cerca de 20 pessoas na comissão técnica, é o resultado de muito trabalho”.

“É tão bonito, tão maravilhoso. Mesmo que já tenha havido outros campeonatos antes, é preciso lembrar que é um feito hoje. Não jogamos um jogo fantástico, mas enfrentamos uma equipe de qualidade. Estou muito feliz por esse grupo, pois temos uma longa jornada, não foi algo simples. Isso é resultado de muito trabalho, passamos por alguns momentos difíceis, mas agora eles estão no teto do mundo por quatro anos”, completou o treinador, que deve permanecer no cargo até 2020, quando acaba seu contrato com a Federação Francesa de Futebol.

É isso, acabou. Próxima parada: Qatar 2022. Obrigado Copa, até daqui quatro anos!

 

Wilson Rocha

WSports/Futebol Interior

Foto: Matthias Hangst/Getty Images

Leia Mais

W Sports
Espaço Publicitario