Ingerir alimentos e bebidas quentes pode ocasionar câncer

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on skype

Você sabia que comidas e bebidas muito quentes podem queimar o palato (céu da boca) e a língua? E que isso causa o sensação de dormência por um curto período e, posteriormente, inchaços, inflamações e úlceras nas mucosas e tecidos? E que, por fim, pode gerar câncer?

Nesse sentido, se a ingestão de alimentos em altas temperaturas for um hábito frequente, provocando descamações contínuas da mucosa oral, pode-se levar no longo prazo a uma lesão cancerígena. Aliás, podemos dizer que é o mesmo efeito do sol sobre a pele.

Estudos sobre alimentos quentes e câncer

De acordo com um estudo científico publicado em 2019 pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde (OMS), a ingestão diária de 700 ml de chá quente, a uma temperatura equivalente ou superior a 60ºC, eleva esse risco em cerca de 90%.

De acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer, o câncer de garganta e esôfago é o sexto mais comum entre os homens na região sul do Brasil. A incidência na região é de duas vezes e meia a cinco vezes maior do que no restante do país, devido ao hábito de consumir 

Durante um estágio inicial, pode não haver sintomas, mas as dores aparecem em quadros mais avançados. Além disso, a associação da lesão ao tabagismo e ao alcoolismo agrava ainda mais a doença.

Alimentos que fazem mal

Todo alimento que estiver a temperaturas extremas, para mais ou para menos, faz mal. Porém, alguns alimentos, quando superaquecidos, podem provocar estragos maiores do que outros. São eles os líquidos, e os alimentos condimentados, muito salgados. Isso porque eles fermentam e aumentam a acidez estomacal.

A exemplo, molhos industrializados, leite, café, frituras, vinho quente, certos tipos de chás, chocolate e sopas.

Leia Mais

W Sports