Léo Franco fala sobre o silêncio no Bota, “pitacos” de Adalberto e orçamento para 2019

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no skype

O Botafogo adotou o silêncio durante a montagem do seu elenco para a temporada 2019. Poucas coisas vazaram e as informações sobre contratações do clube são bastante restritas. Segundo o executivo de futebol do Pantera, Léo Franco, a postura é a mais adequada para o momento.

“Esse é um processo que a gente sempre tenta fazer, evidentemente que devido ao trabalho de vocês, de conversar com algum diretor, algum agente e por este motivo algum nome seja vazado. Mas é uma maneira que se você for olhar no mercado, é comum em vários outros clubes tratar isso com muito sigilo, porque a divulgação gera uma especulação que atrapalha muito as negociações”, afirmou Léo Franco.

UNIMED

O dirigente também confirmou que o processo de contratação de jogadores está sendo feito por ele e Gustavo Vieira, mas com alguns “pitacos” de Adalberto Baptista e mais alguns diretores.

“Os processos de contratação estão sendo feitos por mim e o Gustavo, o Adalberto, obviamente, por já ter uma participação no futebol, ele conhece atletas, assim como o Gerson, o Luis Pereira. Esse é um processo de apresentação de nomes, o que é natural várias pessoas participarem, mas a definição fica comigo e o Gustavo”, disse o dirigente.

+ Léo Franco confirma não renovação de Yuri

Segundo Léo Franco, todos os processos de chegada e saídas de jogadores estão sendo feitas com o aval do treinador, respeitando o estilo de trabalho que ele deseja implantar no time.

“Toda a ascensão que o Botafogo teve, de chegar à Série B, projeto de arena e outras coisas, colocam o time em evidência e isso faz com que vários jogadores sejam oferecidos para nós. Temos que ter o cuidado para poder atender os interesses da comissão técnica, entender qual será a ideia de jogo, o que ele precisa, e ai tentar buscar os atletas que se encaixem no perfil que o técnico quer”, contou Franco.

Em relação ao orçamento para o Paulistão, Franco afirmou que o Botafogo teve uma “pequena” melhora, entretanto, o aumento não vai permitir que o clube faça loucuras por jogadores.

“Nós tivemos um aumento no orçamento, mas nada tão significativo, é um aumento pequeno. Temos que ter os pés no chão e continuar trabalhando sem fazer nenhum tipo de loucura”, finalizou Franco.

Foto: Leonardo Del Sant /WSports

 

 

 

Leia Mais