Página Inicial Notícias Atletismo termina o domingo com medalhas brasileiras e marca incrível nos 1.500m

Atletismo termina o domingo com medalhas brasileiras e marca incrível nos 1.500m

Escrito porWsports 12 12America/Sao_Paulo setembro 12America/Sao_Paulo 2016

Felipe Gomes e Teresinha de Jesus sobem ao pódio na sessão noturna. Argelino fecha prova de fundo com tempo melhor que o do campeão Olímpico

Atletismo termina o domingo com medalhas brasileiras e marca incrível nos 1.500m

Felipe Gomes e seu guia, Jonas Silva, com a prata dos 100m classe T11 (Foto: MPIX/CPB/Daniel Zappe)

A noite deste domingo (11) também foi vitoriosa para o Brasil nas provas de velocidade do atletismo Paralímpico. O país conquistou mais duas medalhas: prata para Felipe Gomes, bronze para Teresinha de Jesus. Pela manhã, Petrúcio Ferreira e Yohansson Nascimento levam ouro e bronze nos 100m T47, respectivamente.

Entenda a classificação dos atletas Paralímpicos no Rio 2016

Após as conquistas da manhã, Teresinha foi a primeira a festejar medalha no início da sessão noturna. Ela ficou em terceiro lugar nos 100m classe T47, para atletas com deficiência nos membros superiores. A medalha de ouro ficou com a americana Deja Young, que fechou a prova em 12s15. A polonesa Alicja Fiodorow ficou em segundo lugar com 12s46, contra 12s84 da brasileira.

Confira o calendário e os resultados do dia no atletismo Paralímpico

Teresinha: Brasil teve 4 pódios no atletismo neste domingo  (Foto: MPIX/CPB/Daniel Zappe)

Na prova seguinte, Felipe Gomes não conseguiu superar o americano recordista mundial David Brown, que ganhou a medalha de ouro com 10s99, novo recorde Paralímpico. O brasileiro completou os 100m em 11s08, a melhor marca de sua carreira, e por muito pouco superou o terceiro colocado Ananias Shikong, da Namíbia, que registrou 11s11.

“Foi uma corrida muito equilibrada. Nós melhoramos muito, mas o americano (David Brown) é um atleta muito forte e venceu”, disse Felipe. “O time americano é muito difícil de ser derrotado, mas nós mostramos que vamos lutar sempre”.

Na segunda-feira, o brasileiro volta à pista para o revezamento masculino 4x100m T11-13. “Tenho que descansar agora, porque amanhã temos a semifinal e queremos dar mais uma medalha ao Brasil”.

Quem não teve uma noite feliz foi Alan Fonteles. Na prova dos 200m T44, da qual ele foi medalhista de ouro em Londres 2012, o brasileiro registrou o nono tempo da fase eliminatória e ficou fora da final.

Prova incrível nos 1.500m

Um feito incrível foi registrado na prova dos 1.500m classe T12/13: os quatro primeiros colocados registraram um tempo melhor que o do campeão Olímpico da prova. O ouro Paralímpico foi do argelino Abdellatif Baka, que anotou 3min48s29 e bateu o recorde mundial.

A medalha de prata ficou com o etíope Tamiru Demisse (3min48s49), e o bronze foi para o queniano Henry Kirwa (3min49s59). O também argelino Fouad Baka (3min49s84) ficou em quarto lugar. Nos Jogos Olímpicos, o ouro ficou com o americano Matthew Centrowitz, que registrou a marca de 3min50s.

Quem teve azar na prova Paralímpica foi o brasileiro Julio Cesar Agripino dos Santos, que sofreu uma queda e terminou em 12º lugar. Ele alega ter sido empurrado: “Não vou reclamar do que aconteceu. Não sei quem me empurrou ou por quê. É uma corrida, essas coisas acontecem”.

Julio Cesar destacou o comportamento da torcida no incidente. “Estou muito feliz por ter corrido na frente da torcida brasileira. O público gritou meu nome e me incentivou a levantar quando eu caí”, disse.

Foto: Rio 2016
Fonte: Rio 2016

tres_estrelas_assinatura

[widgets_on_pages id=”mais futebol”]

Anúncios
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE