Página Inicial Notícias Com duas pratas para o Brasil, natação tem mais uma noite cheia de recordes

Com duas pratas para o Brasil, natação tem mais uma noite cheia de recordes

Escrito porWsports 10 10America/Sao_Paulo setembro 10America/Sao_Paulo 2016

Phelipe Rodrigues fica em segundo lugar na prova dos 50m classe S10, mesma colocação do revezamento 4x50m livre

Com duas pratas para o Brasil, natação tem mais uma noite cheia de recordes

Phelipe Rodrigues, aqui nos 100m livre S10: a prata veio na prova mais curta, os 50m (Foto: Getty Images/Friedemann Vogel)

Os nadadores estão com tudo nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Depois dos 13 recordes mundiaisquebrados na quinta-feira (8), nesta sexta (9) mais uma série de marcas caiu nas finais, que ocorreram à noite. Para o Brasil não houve recorde, mas os nadadores conseguiram mais duas medalhas de prata.

O primeiro dos dois pódios brasileiros veio com Phelipe Rodrigues nos 50m livre S10. Maksym Krypak, da Ucrânia, levou o ouro, e seu compatriota Denys Dubrov ganhou o bronze. O também brasileiro André Brasil, recordista mundial, ficou em quarto.

Saiba tudo sobre a classificação dos atletas Paralímpicos no Rio 2016

A segunda medalha de prata brasileira foi conquistada pelo revezamento 4x50m livre, com Clodoaldo Silva, Joana Maria Silva, Susana Ribeiro e Daniel Dias.  O quarteto brasileiro saiu na frente, mas foi ultrapassado na segunda etapa da prova pela China, que ao final quebriu com sorbas o recorde mundial. os chineses nadaram a prova em 2min18s03, contra 2min32s19 da marca anterior. Brasil (2min25s45) e Ucrânia (2min30s66), respectivamente prata e bronze, também nadaram abaixo do antigo recorde.

O primeiro recordista da noite foi o ucraniano Hennadii Boiko, que fez uma prova impressionante e pulverizou sua própria mundial nos 100m costas classe S1. Ele fechou a prova em 2min08s01, mais de 15 segundos abaixo do melhor tempo anterior: 2min23s75, registrado também neste ano. Para se ter uma ideia, o segundo colocado nesta sexta foi o italiano Francesco Bettella, com 2min27s06.

Nos 100m costas S2, quem anotou a melhor marca da história foi o chinês Liankang Zou, com 1min45s25. Entre as mulheres, na mesma prova, Pin XiuYip, de Singapura, aumentou o ritmo na reta final e fechou a prova em 2min07s09. Ficou pouco mais de 2 segundos abaixo da marca anterior, estabelecida por ela mesma em maio deste ano.

Confira todos os resultados do dia na natação Paralímpica

Hennadii Boiko arrebentou com o antigo recorde mundial nos 100m costas S1 (Foto: OIS/COI/Bob Martin)

Os recordes não pararam, e na prova dos 50m livre S7 a nova marca foi estabelecida pelo chinês Shiyun Pan: 27s35. Na prova feminina, a americana McKenzie Coan levou o ouro com recorde Paralímpico: 32s42. Ela baixou ainda mais o tempo que havia registrado na prova classificatória, quando nadou em 32s57.

As provas dos 50m borboleta S6 também tiveram recordes: no masculino, recorde mundial do chinês Qing Xu, com 29s89; no feminino, recorde Paralímpico para a britânica Elie Robinson, com 35s58. Já a canadense Aurelie Rivard brilhou nos 50m livre S10, com a marca mundial de 27s37.

Aurelie Rivard (de frente) ganha um abraço após bater o recorde mundial (Foto: OIS/COI/Bob Martin)

O desfechou dos 100m costas S11 foi o mesmo: dois recordes mundiais. No masculino, o ucraniano Dmytro Zalevskyi nadou a prova em 1min06s66; no feminino, a australiana Mary Fisher fez 1min17s96.

Nos 100m borboleta S8, o recorde mundial caiu no masculino, com o chinês Maodang Song: 59s19. No feminino, a vencedora da prova foi a ucraniana Kateryna Istomina, que nadou em 1min0904 e bateu o recorde Paralímpico.

Foto: Rio 2016
Fonte: Rio 2016

tres_estrelas_assinatura

[widgets_on_pages id=”mais futebol”]