Página Inicial Comercial Comercial 105 anos: Confira três jogos inesquecíveis para os comercialinos

Comercial 105 anos: Confira três jogos inesquecíveis para os comercialinos

Escrito porWsports 10 10America/Sao_Paulo outubro 10America/Sao_Paulo 2016

comercial-105-anos

Completar 105 anos não é para qualquer clube de futebol, seja em território brasileiro ou internacional. Por aqui, temos clubes como Corinthians, Santos, as duplas Fla-Flu e Gre-Nal, Atlético (MG) entre outros. Em Ribeirão Preto, há o Comercial Futebol Clube.

Fundado em 10 de outubro de 1911, o Comercial disputou, cinco anos mais tarde, oito jogos na excursão no nordeste do Brasil. Foram sete vitórias e um empate. Com o desempenho, veio o apelido de Leão do Norte.


O clube ainda enfrentou uma paralisação nas atividades e retornou anos depois. O auge do Comercial foi nos de 1960, quando ninguém conseguia vencer o famoso “Bafo” em Ribeirão Preto. Dois anos depois, o imbatível Leão do Norte era vice-campeão da Taça São Paulo, mas terminou derrotado para o Santos de Pelé.

Nos dias atuais, o clube enfrenta as adversidades do mundo da bola. Mas, mesmo assim, os verdadeiros comercialinos não abandonam o Bafo. Para comemorar os 105 anos, o portal Wsports reuniu três torcedores, que selecionaram três clássicos Come-Fogo inesquecíveis.

Come-Fogo da história

A empresária Marli Massonetto, de 49 anos, se lembra como se fosse ontem do clássico Come-Fogo na Copa Paulista de 2009, no qual terminou com vitória alvinegra por 1 a 0, sobre os botafoguenses, no estádio Santa Cruz.

“O Comercial havia sido rebaixado para a Série A3 e o Botafogo estava na Série A1. A torcida adversária provocou com vaias e cantos em referência ao rebaixamento. O leão foi pressionado dando a impressão de que poderia até ser goleado. Mas, com um gol chorado, conquistamos a vitória. Ganhar do Botafogo é bom, ganhar no buracão é melhor ainda”, conta.

Para o filho de Marli, Guilherme, o duelo que mais mexeu com as emoções do torcedor foi o Come-Fogo da Série A1 do Campeonato Paulista, em 2012. “Para mim, foi o jogo mais emocionante. Saímos perdendo, mas depois o Bombinha empatou. Antes do gol da virada, o Alex [Muralha] pegou um pênalti e, na sequência, o Bombinha fez o segundo”, relembra.

Outro Come-Fogo histórico, mas desta vez para o torcedor Vinícius Furquim, de 19 anos, foi em 2005, quando o Leão do Norte venceu o arquirrival pelo placar de 1 a 0. “Inesquecível aquele pênalti defendido pelo Alexandre Villa. Com o resultado, o Botafogo caiu para Série A3 do Campeonato Paulista”, afirma.

“Uma coisa inexplicável. Nem todas palavras de carinho dá pra explicar o que sinto. É uma torcida que ama o clube, que ‘tá’ presente, independente da má fase do clube. E eu por ser comercialino desde que me conheço por gente, amo esse clube”, completa Furquim.

Arte: Wsports
tres_estrelas_assinatura

[widgets_on_pages id=”comercial”]