Página Inicial Mais futebol Comissão Técnica completa 180 dias de trabalho

Comissão Técnica completa 180 dias de trabalho

Escrito porRedação Wsports 20 20America/Sao_Paulo dezembro 20America/Sao_Paulo 2016

Há seis meses, o coordenador Edu Gaspar e o técnico Tite iniciaram junto aos auxiliares Cléber Xavier e Matheus Bachi o expediente no departamento de Seleções da CBF focados em formar uma dinâmica de trabalho com responsabilidades diárias.

Dentro dessas responsabilidades, a comissão fez seu norte na observação in loco dos atletas. Logo que assumiu o cargo de técnico da Seleção, Tite viajou aos Estados Unidos em companhia de Edu para assistir a semifinal e final da Copa América Centenário.


De lá até a marca desses 180 dias, completados nesta terça-feira (20), foram 80 jogos in loco acompanhados pela comissão técnica, sendo 18 deles fora do Brasil. Além das partidas analisadas em vídeo pelo CPA (Centro de Pesquisa e Análise).

– O maior investimento da Seleção está na observação dos atletas. Observando bem, acompanhando bem suas partidas e treinos, convocaremos bem e traremos jogadores em alto nível para a Seleção – disse o coordenador Edu Gaspar.

Além de acompanhar as partidas presencialmente, foi diagnosticado pela comissão que o goleiro – em determinado jogo – pode não ser exigido o suficiente para uma análise de seu trabalho. Por isso, os preparadores Rogério Maia e Taffarel passaram a acompanhar os treinos dos arqueiros brasileiros mundo afora.

Ao todo, em 33 dias, membros da comissão estiveram em centros de treinamento de clubes do Brasil e de fora do país, além de visitas aos treinos das categorias de base, para o monitoramento de atletas selecionáveis.

Eliminatórias

A Seleção Brasileira esteve reunida para as Eliminatórias por 30 dias, incluindo viagens, durante os meses de agosto a novembro. Nesse período foram 18 treinos, seis jogos com seis vitórias e a liderança na jornada rumo à Copa da Rússia.

Gestão e modernidade

Fora das quatro linhas, o coordenador Edu Gaspar tem entre outras atribuições a de alinhar a modernidade à rotina de trabalho da Seleção. Prova disso é o incentivo à busca por novas tecnologias para o CPA (Centro de Pesquisa e Análise), como os novos instrumentos de análise de desempenho (clique aqui).

– A tecnologia é cada vez mais importante devido ao número de informações geradas. Seja ela do conjunto apresentado pelo adversário ou pela análise individual de cada atleta. Por isso acreditamos que tecnologia e modernidade caminham juntas nessas análises. São ferramentas essenciais no nosso cotidiano – explicou Edu.

Outra preocupação da Seleção é a de agir de acordo com as necessidades diagnosticadas, como a convocação de um profissional a mais para o setor de fisioterapia.

– Sentimos que os jogadores procuravam pelo departamento para um tratamento de prevenção ou outro após o treino e sobrecarregava. Concluímos que seria o melhor convocar um terceiro fisioterapeuta e a experiência foi bem recebida.

Adaptação aos ‘chineses’

Devido ao seu calendário, os clubes da China liberam seus jogadores para as datas Fifa com uma semana de antecedência. Assim, os convocados deste mercado iniciam os treinamentos dias antes com o preparador físico Fábio Mahseredjian e o auxiliar Cléber Xavier.

Nesses 180 dias, Renato Augusto, Paulinho e Gil treinaram antecipadamente por 11 dias nos centros de treinamento de Corinthians (24 a 27 de agosto), Palmeiras (29 de setembro a 01 de outubro) e Fluminense (02 a 05 de novembro).

Preparo físico

Uma das inovações apresentadas pela comissão técnica foi a do preparador físico fixo. Um profissional que assim como os demais membros da comissão cumprisse com as responsabilidades diárias. Fábio Mahseredjian foi o escolhido para monitorar o condicionamento físico e minutagem de jogos dos atletas selecionáveis.

Conversas 

Seguindo o que foi feito no início do trabalho, o técnico Tite conversou com técnicos do mercado europeu (Zidane, Klopp, Antonio Conte) e do Brasil: E.Bauza (quando técnico do São Paulo), Roger Machado, Dorival Jr., Muricy Ramalho, Paulo Bento, Carlos Alberto Silva, Cuca, Falcão, Renê Simões, Levir Culpi, Paulo Autuori, Ricardo Gomes, Zé Ricardo, Oswaldo Oliveira, Vagner Mancini, Vinicius Eutrópio, Abel Braga, Marcelo Oliveira, Milton Mendes, Eduardo Baptista, Luxemburgo, Fernando Diniz, Pachequinho, Caio Jr. e Ricardo Gomes.

O coordenador Edu Gaspar intermediou uma conversa com Patrick Vieira, técnico do Manchester City New York, enquanto o auxiliar Sylvinho falou com Domenech Torrente, auxiliar do Manchester City.

Fonte; Confederação Brasileira de Futebol