Nova cara do futsal, M. Xavier celebra conquista da Libertadores

O Carlos Barbosa conquistou o seu quarto título da Copa Libertadores de Futsal no último domingo, após superar o Cerro Porteño-PAR na grande final por 2 a 1. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o treinador Marquinhos Xavier falou sobre o torneio e exaltou a estrutura da competição, que foi realizada no Peru, e a participação da Conmebol na organização do torneio.
“Para nós foi um desafio novo. A gente reformulou a equipes neste ano, tivemos praticamente 50% do grupo montado para um torneio dessa importância no início da temporada. Não é uma tarefa fácil, é desafiador”, comentou o comandante da ACBF, que está em sua 12ª temporada como técnico. “Mas a gente teve a felicidade de ter um estrutura e planejamento que nos possibilitou as melhores condições possíveis”.
“A gente teve a felicidade de encontrar uma estrutura física acima da média para nível de América, uma vez que, em nenhuma das outras edições, a Conmebol teve uma influência tão grande na organização do evento, no apoio à cidade sede. Foi tudo perfeito, desde a receptividade até a estrutura, a logística, os jogos. Tudo aconteceu perfeitamente e culminou em mais uma importante conquista”, completou o catarinense de 43 anos.
> Receba as notícias do esporte em primeira mão. Curta a página Wsports no Facebook
Durante a campanha, o Carlos Barbosa bateu o time peruano Primero de Mayo, nas quartas de final, nos pênaltis, e teve confrontos difíceis na semifinal e final, respectivamente contra Bello Real Antioquia e Cerro Porteño. Ao refletir sobre a campanha do título, Marquinhos Xavier exaltou o nível técnico do torneio.
“O nível técnico foi surpreendente. Eu até disse que daqui para frente vai ser cada ano mais difícil os brasileiros vencerem a Libertadores. Nós temos uma hegemonia muito grande. Desde 2004, nós fizemos todas as finais de Libertadores e, neste ano, por muito pouco, a gente quase ficou fora quando enfrentamos a equipe do Peru nas quartas de final e o jogo foi definido nas penalidades”, comentou. “Isso por causa do tamanho melhora que esses países estão tendo com o passar do tempo. A evolução técnica deles vem sendo muito grande”.
“Então o nível técnico está muito alto e a facilidade que os brasileiros tinham algum tempo atrás contra equipes sul-americanas tem reduzido. Isso vai dar para eles (os times e países sul-americanos), com tempo, a possibilidade de ter uma certa hegemonia. A Argentina já tem um domínio no continente. É campeã mundial, campeã sul-americana sub-20, fez a final da Copa América contra o Brasil. Então eles estão crescendo demais e precisamos ficar atentos a isso”, continuou.
Por fim, Marquinhos Xavier comentou um pouco da final da Libertadores de Futsal contra o Cerro Porteño e destacou que o elenco do Carlos Barbosa foi um dos diferenciais para a conquista do título continental.
“A nossa batalha foi duríssima, tanto nas quartas, semifinal e, em especial, na final contra o Cerro Porteño que era o atual campeão da competição. Eles venceram, no ano passado, uma equipe brasileira, o Jaraguá do Sul, e criaram inúmeros problemas para nós”, disse o treinador. “Acho que o fator decisivo para que a gente ganhasse foi a manutenção do elenco inteiro fisicamente. Foi muito mais física do que técnica, já que tínhamos um plantel com possibilidade de rodar (os jogadores) e vimos um grande desgaste físico por parte dos paraguaios”, finalizou Marquinhos Xavier.

Foto: Ulisses Castro | ACBF

%d blogueiros gostam disto: