Os paratletas mais velozes do mundo entram em ação na Supersexta dos Jogos Paralímpicos

Jason Smyth, Omara Durand, Alan Fonteles e Terezinha Guilhermina são alguns dos astros do atletismo que competem no segundo dia dos Jogos

O dia 9 de setembro promete ser inesquecível no atletismo, com os 100m rasos cheios de astros na pista

A primeira sexta-feira (9) dos Jogos Paralímpicos 2016 promete ser inesquecível. É a Super sexta, com os paratletas mais velozes do mundo em ação em um único dia. Uma disputa que promete ser inesquecível por medalhas e recordes nas provas dos 100m rasos.

No masculino, o irlandês Jason Smyth tenta o terceiro ouro seguido nos 100m T13, cuja final acontece na manhã de sexta. Nas duas edições anteriores dos Jogos, Pequim 2008 e Londres 2012, ele baixou seu recorde mundial, que atualmente é de 10,46s. A meta é conseguir a tripleta no Rio de Janeiro.

A cubana Omara Durand, no feminino, que conquistou três títulos mundiais e quebrou o recorde mundial quatro vezes nos 100m T12, tenta correr abaixo dos 11,48s, sua melhor marca atualmente. A final da prova está marcada para a noite de sexta.

Omara Durand: favorita ao ouro nos 100m T12 (Foto: Getty Images/Bryn Lennon)

Brasil também terá velocistas em ação. Alan Fonteles, que em Londres 2012 ganhou os 200m T44, entra em ação nos 100m T43/44, na sexta, e também sonha com medalha. Mas terá que superar o favoritismo do americano Jarryd Wallace e sobetudo do britânico Jonnie Peacock, atual campeão Paralímpico.

“Não há dúvidas de que a sexta-feira oferece uma inacreditável dose de ação na pista”, diz Sir Philip Craven, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). “A programação está repleta de eventos incríveis, e nós sabemos o quanto a prova dos 100m pode ser especial. É apenas o segundo dia de competições, e olhando para os atletas que vão competir sabemos que é um dia especial”.

Wallace (esq.) e Peacock em Londres, neste ano: rivais de Fonteles (Foto: Getty Images/Dan Mullan)

Terezinha Guilhermina é mais uma brasileira que sonha disputar a final na sexta, na categoria T11. Bicampeã Paralímpica, terá que encarar a forte concorrência da chinesa Cuiqing Liu, que levou a melhor nos dois últimos duelos. “O Brasil dominou o pódio em Londres 2012, com Terezinha, Jerusa Santos e e Jhulia Santos. É incontestável o talento do país”, afirma Sir Philip.

Terezinha ganhou ouro em Londres 2012 e quer repetir a dose (Foto: Getty Images/Buda Mendes)

Mas não para por aí. A melhor corredora de cadeira de rodas do mundo, a americana Tatyana McFadden, compete nos 100m T54 no começo da noite. Pode ser a primeira das sete medalhas de ouro que ela projeta conquistar nos Jogos. Por fim, nos 100m T38, a britânica Sophie Hahn duela com a brasileira Veronica Hipolito e outra prova que merece atenção.

Foto: Rio 2016
Fonte: Rio 2016

tres_estrelas_assinatura

[widgets_on_pages id=”mais futebol”]

%d blogueiros gostam disto: