Para se reerguer, Comercial vai precisar evitar atitudes recentes; veja como e onde o Leão pode fazer diferente

A reestruturação no Comercial já começou. Se na Diretoria Executiva e no Conselho Deliberativo ainda não ocorreu mudanças, dentro de campo o assunto é outro. Isso porque o time sub-20 do Leão se prepara para a disputa do Campeonato Paulista da categoria, e boa parte dos jogadores deve ser aproveitada em 2018.
Mas não é só isso que o Comercial precisa fazer. Para não repetir alguns erros cometidos em 2017, outras atitudes deverão ser tomada. O portal Wsports separou oito mudanças que devem ser feitas para dar continuidade na reestruturação com o pé direito dentro de campo.
  • Técnico
Pode-se dizer que o Comercial teve três técnicos nessa temporada. Apesar de Marcelo Dias ter deixado o time na mão antes da estreia na Série A3, o treinador iniciou a pré-temporada comandando o time, chegando até a indicar alguns reforços que foram contratados, como o caso de Cairo e Tabarana.
Poucas semanas depois, o técnico da Copa Paulista deixou o time e foi para o Vila Nova-GO, onde se tornou auxiliar técnico. Com o elenco praticamente preenchido, o Comercial trouxe Amauri Knevitz, que não teve tempo e espaço no grupo para encaixar novas peças. Assim, juntou o técnico que não conhecia o time e o time que não conhecia o técnico. Deu no que deu. Depois de nove rodadas, Knevitz deixou o comando técnico alvinegro.
O terceiro homem no comando foi Luciano Dias. Com o título de “técnico de Série A2 que treinaria equipe de A3, teve um aproveitamento pior que o de Knevitz, e o resultado final foi o rebaixamento.
Para 2018, o Comercial precisará planejar corretamente para não correr o risco de ter que trocar o técnico novamente.
  • Comandante que conheça a divisão
Mas não basta apenas contratar o técnico e deixá-lo no comando até o fim da competição a qualquer custo. Será necessário um treinador que conheça a divisão. Um bom exemplo de que qualquer técnico não dirigir em qualquer divisão é o próprio Comercial.

Luciano Dias, que tem experiência em A1 e A2, não deu certo na A3, claro que é importante frisar que o comandante não teve tempo de aplicar o seu estilo, mas mesmo assim ficou muito abaixo do esperado.
  • Gerente de Futebol
Adalberto Lisboa chegou a ser anunciado no fim do ano passado como novo Gerente de Futebol do Comercial, mas em poucos dias pegou as malas e foi embora de Ribeirão Preto. Independente do motivo que o levou a sair, não foi benéfico ao Comercial.
Outra incógnita é saber se ele daria certo e faria um bom trabalho, mas o que é inquestionável é a importância de um profissional nesse cargo, já que teoricamente é uma pessoa que está atualizada no meio do futebol, e normalmente conhece o perfil de jogadores que determinada divisão requer.

Foto: Rafael Alves | Comercial FC

 

%d blogueiros gostam disto: