São Paulo toma susto mas acaba goleando adversário


O São Paulo estreou com o pé direito no Paulistão 2019. Mesmo com um pequeno susto ainda no início do jogo, o time de André Jardine goleou o Mirassol por 4 a 1 no Pacaembu e afastou a desconfiança da torcida. Anderson Martins, Pablo, Reinaldo e Hudson marcaram para o time da casa. O resultado foi importante para o time mostrar, principalmente, o poder de reação ao sair atrás do placar.

Depois da pré-temporada nos Estados Unidos, o São Paulo voltou para o Brasil de olho no primeiro compromisso oficial da temporada. Ainda sem Hernanes, que não foi regularizado a tempo para a estreia no estadual, o time entrou com Nenê no meio de campo, além dos recém-contratados Tiago Volpi e Pablo. Do outro lado, o Mirassol apostou em um elenco ‘cascudo’, com jogadores experientes como Wellington Simião, Leandro Amaro e Carlão.

Tonin 500

A primeira real oportunidade de gol saiu aos 11 minutos. Everton recebeu pela esquerda e cruzou com força para o meio da grande área, só que Helinho furou e perdeu a chance de abrir o placar. Na sequência, o Mirassol acelerou o ataque e a bola caiu no pés de Daniel Borges, que ganhou de Reinaldo na velocidade e cruzou para o meio. Bruno Peres tentou cortar, dividiu com o goleiro Tiago Volpi e o atacante Carlão e mandou contra o próprio gol, aos 12.

O gol contra não abalou a confiança do São Paulo, que seguiu pressionando, mas o clube tinha dificuldade para organizar uma jogada que furasse a marcação do Mirassol. Se não ia pela grama, o time de André Jardine teve que tentar na bola parada. E deu certo. Nenê cobrou o escanteio pela esquerda na cabeça de Anderson Martins, que testou com força no cantinho de Matheus Aurélio e empatou a partida aos 28 minutos.

Mas a desconfiança do torcedor foi embora logo no início do segundo tempo. O São Paulo voltou muito melhor e com apenas cinco minutos já conseguiu virar o placar. Everton tentou uma jogada individual e acabou derrubado por Leandro Amaro, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança de falta, Reinaldo jogou exatamente na medida para Pablo completar com força para o fundo das redes e, de cabeça, mudar o rumo da partida.

Seis minutos depois, com 11, foi a vez de Bruno Peres arrancar pela direita, passar por dois marcadores e ser derrubado pelo mesmo Leandro Amaro. O zagueiro, que já tinha uma advertência, recebeu o cartão vermelho e deixou o Mirassol com um a menos. Na cobrança da falta, Nenê mandou no travessão e Reinaldo ficou com o rebote. O lateral fez uma linda finta e tabelou com o camisa 10, que cruzou rasteiro para ele completar.

Ainda dava tempo para mais no Pacaembu e Nenê arrumou para Helinho, que achou um passe açucarado para Bruno Peres. O lateral carregou pra linha de fundo e cruzou de calcanhar. A bola passou por todo mundo e foi parar na frente de Hudson, que meteu direto no ângulo, com 20 minutos.

O Mirassol, mesmo com as substituições do técnico Moisés Egert, não conseguiu mais responder e se postou defensivamente aguardando o apito final.

Na quinta-feira o São Paulo viaja até Novo Horizonte enfrentar o Novorizontino no estádio Jorge Ismael de Biasi, às 21h. Também pela 2ª rodada, o Mirassol recebe o Red Bull Brasil no estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, às 17h30.

eou com o pé direito no Paulistão 2019. Mesmo com um pequeno susto ainda no início do jogo, o time de André Jardine goleou o Mirassol por 4 a 1 no Pacaembu e afastou a desconfiança da torcida. Anderson Martins, Pablo, Reinaldo e Hudson marcaram para o time da casa. O resultado foi importante para o time mostrar, principalmente, o poder de reação ao sair atrás do placar.

Depois da pré-temporada nos Estados Unidos, o São Paulo voltou para o Brasil de olho no primeiro compromisso oficial da temporada. Ainda sem Hernanes, que não foi regularizado a tempo para a estreia no estadual, o time entrou com Nenê no meio de campo, além dos recém-contratados Tiago Volpi e Pablo. Do outro lado, o Mirassol apostou em um elenco ‘cascudo’, com jogadores experientes como Wellington Simião, Leandro Amaro e Carlão.

A primeira real oportunidade de gol saiu aos 11 minutos. Everton recebeu pela esquerda e cruzou com força para o meio da grande área, só que Helinho furou e perdeu a chance de abrir o placar. Na sequência, o Mirassol acelerou o ataque e a bola caiu no pés de Daniel Borges, que ganhou de Reinaldo na velocidade e cruzou para o meio. Bruno Peres tentou cortar, dividiu com o goleiro Tiago Volpi e o atacante Carlão e mandou contra o próprio gol, aos 12.

O gol contra não abalou a confiança do São Paulo, que seguiu pressionando, mas o clube tinha dificuldade para organizar uma jogada que furasse a marcação do Mirassol. Se não ia pela grama, o time de André Jardine teve que tentar na bola parada. E deu certo. Nenê cobrou o escanteio pela esquerda na cabeça de Anderson Martins, que testou com força no cantinho de Matheus Aurélio e empatou a partida aos 28 minutos.

Mas a desconfiança do torcedor foi embora logo no início do segundo tempo. O São Paulo voltou muito melhor e com apenas cinco minutos já conseguiu virar o placar. Everton tentou uma jogada individual e acabou derrubado por Leandro Amaro, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança de falta, Reinaldo jogou exatamente na medida para Pablo completar com força para o fundo das redes e, de cabeça, mudar o rumo da partida.

Seis minutos depois, com 11, foi a vez de Bruno Peres arrancar pela direita, passar por dois marcadores e ser derrubado pelo mesmo Leandro Amaro. O zagueiro, que já tinha uma advertência, recebeu o cartão vermelho e deixou o Mirassol com um a menos. Na cobrança da falta, Nenê mandou no travessão e Reinaldo ficou com o rebote. O lateral fez uma linda finta e tabelou com o camisa 10, que cruzou rasteiro para ele completar.

Ainda dava tempo para mais no Pacaembu e Nenê arrumou para Helinho, que achou um passe açucarado para Bruno Peres. O lateral carregou pra linha de fundo e cruzou de calcanhar. A bola passou por todo mundo e foi parar na frente de Hudson, que meteu direto no ângulo, com 20 minutos.

O Mirassol, mesmo com as substituições do técnico Moisés Egert, não conseguiu mais responder e se postou defensivamente aguardando o apito final.

Na quinta-feira o São Paulo viaja até Novo Horizonte enfrentar o Novorizontino no estádio Jorge Ismael de Biasi, às 21h. Também pela 2ª rodada, o Mirassol recebe o Red Bull Brasil no estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, às 17h30.

com o pé direito no Paulistão 2019. Mesmo com um pequeno susto ainda no início do jogo, o time de André Jardine goleou o Mirassol por 4 a 1 no Pacaembu e afastou a desconfiança da torcida. Anderson Martins, Pablo, Reinaldo e Hudson marcaram para o time da casa. O resultado foi importante para o time mostrar, principalmente, o poder de reação ao sair atrás do placar.

Depois da pré-temporada nos Estados Unidos, o São Paulo voltou para o Brasil de olho no primeiro compromisso oficial da temporada. Ainda sem Hernanes, que não foi regularizado a tempo para a estreia no estadual, o time entrou com Nenê no meio de campo, além dos recém-contratados Tiago Volpi e Pablo. Do outro lado, o Mirassol apostou em um elenco ‘cascudo’, com jogadores experientes como Wellington Simião, Leandro Amaro e Carlão.

A primeira real oportunidade de gol saiu aos 11 minutos. Everton recebeu pela esquerda e cruzou com força para o meio da grande área, só que Helinho furou e perdeu a chance de abrir o placar. Na sequência, o Mirassol acelerou o ataque e a bola caiu no pés de Daniel Borges, que ganhou de Reinaldo na velocidade e cruzou para o meio. Bruno Peres tentou cortar, dividiu com o goleiro Tiago Volpi e o atacante Carlão e mandou contra o próprio gol, aos 12.

O gol contra não abalou a confiança do São Paulo, que seguiu pressionando, mas o clube tinha dificuldade para organizar uma jogada que furasse a marcação do Mirassol. Se não ia pela grama, o time de André Jardine teve que tentar na bola parada. E deu certo. Nenê cobrou o escanteio pela esquerda na cabeça de Anderson Martins, que testou com força no cantinho de Matheus Aurélio e empatou a partida aos 28 minutos.

Mas a desconfiança do torcedor foi embora logo no início do segundo tempo. O São Paulo voltou muito melhor e com apenas cinco minutos já conseguiu virar o placar. Everton tentou uma jogada individual e acabou derrubado por Leandro Amaro, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança de falta, Reinaldo jogou exatamente na medida para Pablo completar com força para o fundo das redes e, de cabeça, mudar o rumo da partida.

Seis minutos depois, com 11, foi a vez de Bruno Peres arrancar pela direita, passar por dois marcadores e ser derrubado pelo mesmo Leandro Amaro. O zagueiro, que já tinha uma advertência, recebeu o cartão vermelho e deixou o Mirassol com um a menos. Na cobrança da falta, Nenê mandou no travessão e Reinaldo ficou com o rebote. O lateral fez uma linda finta e tabelou com o camisa 10, que cruzou rasteiro para ele completar.

Ainda dava tempo para mais no Pacaembu e Nenê arrumou para Helinho, que achou um passe açucarado para Bruno Peres. O lateral carregou pra linha de fundo e cruzou de calcanhar. A bola passou por todo mundo e foi parar na frente de Hudson, que meteu direto no ângulo, com 20 minutos.

O Mirassol, mesmo com as substituições do técnico Moisés Egert, não conseguiu mais responder e se postou defensivamente aguardando o apito final.

Na quinta-feira o São Paulo viaja até Novo Horizonte enfrentar o Novorizontino no estádio Jorge Ismael de Biasi, às 21h. Também pela 2ª rodada, o Mirassol recebe o Red Bull Brasil no estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, às 17h30.

Foto: Assessoria São Paulo Futebol Clube.

Tonin 700
Drogao 500×300
Gran Steak 500×300
%d blogueiros gostam disto: